Quarta-feira, 12 de Novembro de 2008
No tumulo de Christian Rosencreutz - Fernando Pessoa

NO TÚMULO DE CHRISTIAN ROSENCREUTZ
III

Ah, mas aqui, onde irreais

AH, MAS aqui, onde irreais erramos,
Dormimos o que somos, e a verdade,
Inda que enfim em sonhos a vejamos,
Vemo-la, porque em sonho, em falsidade.

Sombras buscando corpos, se os achamos
Como sentir a sua realidade?
Com mãos de sombra, Sombras, que tocamos?
Nosso toque é ausência e vacuidade.

Quem desta Alma fechada nos liberta?
Sem ver, ouvimos para além da sala
De ser: mas como, aqui, a porta aberta?
.....................................................................

Calmo na falsa morte a nós exposto,
O Livro ocluso contra o peito posto,
Nosso Pai Roseacruz conhece e cala.

 

Fernando Pessoa

publicado por Odracir às 21:00
link do post | comentar | favorito
|
Pesquisa personalizada
.links